Rede 5G: o que é, quanto custa e como vai funcionar a nova tecnologia?

Imagem de uma mão segurando um celular. Da tela, sai um holograma representando a internet 5g.

Com a evolução da tecnologia, a rede 5G chega ao Brasil acompanhando outros mercados com o objetivo de proporcionar mais mudanças no que conhecemos em torno do cotidiano pessoal e empresarial. 

Se as redes 3G e 4G já trouxeram velocidade no uso da internet e agilidade de transferência de dados para os dispositivos móveis e consagraram os aplicativos como ferramentas versáteis e essenciais de comunicação, o que nos espera com a chegada da evolução natural deste meio de comunicação?

Pensando nisso, preparamos este conteúdo especial para explicar o que é a rede 5G, sua importância e os impactos que ela pode trazer para o País nos próximos anos. 

Entenda a importância de ficar atento à revolução da rede 5G e de outras tecnologias para otimizar resultados no atendimento!

Leia também:

O que é a rede 5G?

A rede 5G é a tecnologia de quinta geração da internet móvel que chega ao Brasil trazendo maior velocidade e alcance. Com ela, é prevista uma grande revolução do momento digital e transformação do mercado de trabalho de modo geral. 

Por meio dela, será possível ter acesso a intercomunicações de dispositivos e equipamentos tradicionais, onde o acesso de equipamentos e utensílios domésticos estarão cada vez mais interligados com o uso da Internet das coisas (IoT).

A rede 5G foi lançada oficialmente em abril de 2019 na Coréia do Sul e está em processo de expansão para diversos locais do mundo. 

Atualmente, pode ser encontrada nos seguintes países:

  • Brasil;
  • Estados Unidos;
  • Canadá;
  • Reino Unido;
  • Suécia;
  • Suíça;
  • França;
  • Japão;
  • Finlândia;
  • Taiwan;
  • China;
  • Kuwait;
  • Arábia Saudita; 
  • Alemanha;
  • Noruega;
  • Austrália.

Como funciona a tecnologia 5G?

O funcionamento de uma tecnologia como essa ocorre por transmissão em ondas de rádio. Contudo, o espectro de frequência é mais abrangente, e isso é o que diferencia a rede 5G em termos técnicos das outras gerações. 

Quais os principais benefícios da rede 5G?

Mão segurando um celular. Da tela estão saindo as letras que representam a tecnologia 5g.

Velocidade 

Evidentemente, a velocidade de download e upload é um ponto importante. Todas as evoluções de rede buscaram trazer algum avanço na rapidez e agilidade. 

Afinal, o desafio era sempre lidar com maiores demandas por conexão e por dados em tempo real, com o mundo mudando completamente. 

O 5G promete ser ainda mais rápido e estável, principalmente se compararmos com outras tendências, como o Wi-Fi e o 4G (faremos essa comparação mais adiante). Assim, permitirá a conexão em tempo real necessária para atividades mais complexas.

Agora, vamos exemplificar a diferença entre as velocidades médias das redes para que você perceba como o 5G se destaca:

2G 3G 4G 5G
Velocidade máxima 0,3 Mb/s 7,2 Mb/s 150 Mb/s de 1 Gb/s a 10 Gb/s
Média de velocidade 0,1 Mb/s 1,5 Mb/s 10 Mb/s a partir de 50 Mb/s

Latência 

Um dos pontos do 5G é justamente se adaptar às chamadas operações de missão crítica, as que precisam de internet confiável e estável como um requisito principal. 

Podemos estar falando de processos realmente importantes, como os de saúde e os que envolvem a vida das pessoas. Contudo, também nos referimos a outras atividades, como jogos, simulações de realidade virtual, etc.

A tendência dos carros autônomos, por exemplo, precisará de um poder de comunicação entre a central e os sensores/atuadores do veículo. O ideal é, portanto, reduzir ao máximo o atraso para não perder tempo no trânsito e não colocar vidas em risco.

O 5G oferece isso. Quando combinado com tecnologias recentes, como a computação de borda (edge computing), poderá diminuir consideravelmente a latência por meio da descentralização, para gerar eficiência na transmissão de dados e agilidade. 

Essa diminuição da latência é essencial para tarefas em tempo real, o que auxilia hoje com o Big Data, por exemplo. As empresas precisam monitorar operações e processos em andamento para já tomar ações preventivas. 

Número de dispositivos

Como já falamos, o 5G traz como uma das suas principais características o suporte ao aumento de dispositivos na rede, o que é uma vantagem para o IoT. 

Se no 4G tínhamos apenas smartphones, computadores e alguns objetos inteligentes, no 5G a tendência é ter uma malha de objetos com sensores em todo local: geladeiras, torneiras, tomadas, carros, etc. 

Na indústria 4.0 também, haverá diversos objetos conectados para viabilizar monitoramento da produção, controle do uso de máquinas, controle dos recursos escassos, etc.

A infraestrutura da rede trará suporte a isso para permitir agilidade, estabilidade e segurança.

Redução do consumo de bateria

Outro ponto é a redução do consumo de bateria nos dispositivos. Assim o 5G se torna uma rede mais tolerante ao aumento de objetos conectados sem que seja necessário gastar muito com eles. 

O problema da duração de bateria é um problema típico do nosso século: nossos celulares contam com baterias cada vez menos resistentes, com o trade-off claro entre velocidade de carregamento e capacidade de manter carga. 

Se o 5G traz mudanças nessa seara, já representa uma novidade impactante que poderá ajudar na eficiência e no controle dos dispositivos. 

Maior cobertura

Outra característica é a cobertura, que deve ser maior do que as gerações anteriores, possibilitando mais dispositivos em rede e em interação. Aumentar a cobertura, aliás, também é uma tendência comum para evoluções de comunicação móvel. 

Estabilidade do sinal

Com a chegada da internet 5G, será possível ter uma estabilidade ainda melhor no serviço de comunicação em relação ao 4G.

Isso acontecerá por conta da maior velocidade de transferência de informações pela internet móvel, trabalhando ainda mais a revolução industrial 4.0 e os processos de atualização da tecnologia como um todo, em escala global. 

Melhores possibilidades de integração remota

Por conta da maior velocidade e abrangência de informações e equipamentos, é possível integrar muito mais aparelhos dentro da rede 5G.

Com isso, podemos contar com novas integrações e possibilidades de trabalho, sejam elas automações remotas ou otimização de fluxos e processos dentro do universo corporativo. 

Acessibilidade do serviço

Letras representando a rede 5G em cima do globo terrestre.

O objetivo da tecnologia 5G no Brasil é justamente fazer com que o serviço consiga ser mais acessível para os brasileiros em diferentes aspectos como:

  • velocidade;
  • carregamento de dados;
  • mais pessoas acessando a internet;
  • utensílios integrados;
  • maior popularidade da Internet das Coisas (IoT);
  • entre outros.

Desta forma, se torna possível alavancar o desenvolvimento do país e fornecer melhor estrutura em diferentes aspectos do cotidiano.

A internet 5G vai custar mais caro?

A princípio, poderá ser mais cara. Contudo, com o tempo, os preços tendem a cair e se tornarem mais interessantes para mais pessoas. 

Qual a importância da rede 5G no Brasil?

Alguns países do exterior como Estados Unidos já estão utilizando a conexão 5G em seu cotidiano. 

Inclusive, segundo pesquisas feitas pela multinacional da área de segurança virtual Kaspersky, entre 2019 e 2020, esse tipo de tecnologia era vista como algo não seguro justamente por conta de sua fase de testes e falhas de segurança durante o período.

Entretanto, a rede 5G chega ao mercado para dar andamento à evolução natural da tecnologia e necessidades do mercado, além de trazer maior segurança e confiabilidade para consumidores pessoa física e jurídica.

Afinal, em um universo cada vez mais automatizado, a possibilidade de integrar conexões e utensílios que fazem parte da vida do usuário se torna cada vez mais natural.

Todos os aparelhos vão suportar a tecnologia 5G?

Os principais são os smartphones. Porém, a tendência é que outros equipamentos do dia a dia também recebam suporte à rede, como os vestíveis, geladeiras, tomadas, etc.

Futuramente, a ideia é inclusive oferecer uma alternativa viável ao esquema de uso de Wi-Fi nas residências e empresas.

Hoje, temos uma lista de aparelhos que já oferecem suporte ao 5G.

Da linha Motorola, temos:

  • G 5G
  • G 5G plus
  • Edge 
  • Edge Plus

Da linha Xiaomi, temos:

  • Mi10T
  • Mi10 Pro

Na linha do Samsung, temos:

  • Galaxy S 21 5G (+)
  • Galaxy Note 20

Já na linha Apple, temos o iPhone 12.

Com o tempo, os novos aparelhos já serão lançados com essa compatibilidade. É importante entender que as outras redes continuam operantes, assim como ocorreu com a evolução das outras gerações.

Como funcionou a evolução até a rede 5G?

Antena de internet de rede 5G.

Vamos falar agora sobre a evolução das redes móveis, do 1G ao atual 5G.

Rede 1G

O grande desafio da primeira geração foi possibilitar chamadas de um telefone a outro, em movimento — a característica central da mobilidade. No início, a tecnologia ainda era arcaica e lidava com baixos dispositivos, porém. 

O mundo passava por uma mudança para o digital, para começar a compactar tarefas em aparelhos eletrônicos, como é o cenário atual. Entretanto, muito ainda tinha que ser feito.

Rede 2G

A Rede 2G trouxe grandes impactos para o que se tinha na comunicação móvel. Primeiro, houve suporte ao chamado SMS, um sistema de mensagens que permitia que as pessoas pudessem interagir com as outras de maneira assíncrona e independente. 

Segundo, tivemos aumento na taxa de transmissão de dados, para permitir maior velocidade e suporte a tarefas mais complexas. Evidentemente, isso na época era ainda muito primitivo, mas já possibilitou um aumento no número de dispositivos móveis.

Terceiro, tivemos a evolução do e-mail, o que permitiu envio de mensagens e comunicação a distância com maior eficácia.

Rede 3G

Já no século 21, o 3G surgiu em meio a demandas por videochamadas e por streaming. Assim, trouxe suporte a envio de dados em tempo real, com pacotes de áudio e vídeo, o que já era algo muito grande na época. 

Além disso, houve avanços para permitir assistir televisão no celular (uma tendência que logo arrefeceu). Houve também melhorias na comunicação por voz, no envio de SMS e nos e-mails. 

Essa rede viu o aumento vertiginoso no uso de redes sociais para interação entre as pessoas. Logo, as redes começaram a mudar e se tornar espaços mais complexos, com transmissão e publicação de diversos tipos de arquivos multimídia. 

Nessa época, também começou-se a utilizar sistemas de streaming para ver vídeos. Logo, o streaming seria usado para assistir a filmes em tempo real e ouvir músicas. Então, surgiu a necessidade de uma nova evolução. 

Rede 4G

O 4G chega com a incumbência de viabilizar maiores velocidades em videochamadas e em streaming. Assim, o trabalho remoto pôde florescer como uma opção viável de regime de trabalho, até mesmo com o surgimento de empresas inteiramente digitais.

A computação em nuvem explodiu também, com recursos computacionais sendo oferecidos como serviços e auxiliando nas demandas mutáveis das companhias. 

Por outro lado, tecnologias como a internet das coisas, inteligência artificial, Big Data e realidade virtual criam demandas por maior velocidade, menor atraso e mais estabilidade. 

O 4G foi protagonista de um mundo em que os dispositivos móveis são usados para praticamente qualquer tipo de atividade, até mesmo superando os computadores em muitos aspectos. 

Assim, muitas pessoas deixam de usar redes Wi-Fi e banda larga em desktop para acessar dados móveis e resolver problemas do dia a dia. 

Nas redes sociais, aumentou-se a complexidade também, com maior demanda por transmissões em tempo real, as lives. A infraestrutura para isso deve ser robusta, estável, com menos atrasos, etc. 

Rede 5G

Chegamos então ao 5G. O novo desafio agora é a quantidade de dispositivos na rede, na medida em que a internet das coisas se torna um padrão. 

A computação ubíqua, com internet em todo lugar, gera uma nova tendência e requer conexões mais poderosas.

Nesse novo momento, o prognóstico é pelo aumento crescente de dispositivos até formarmos algo similar a um modelo de cidade inteligente, em que tudo é controlável por objetos conectados. Dessa forma, é preciso ter segurança, além dos fatores já citados.

Principais diferenças entre a rede 5G e a 4G

Entre as principais diferenças entre a rede 5G e 4G, podemos listar algumas, como:

  • Velocidade;
  • Latência;
  • Cobertura.

Aqui, um dos elementos para diferenciar a rede 5G da 4G atual está relacionado à velocidade. De maneira mais técnica, chamamos esse “gap” de latência. 

Enquanto a latência é o atraso entre o clique no link e o carregamento da página, a velocidade é medida pelo envio de dados por segundo.

Por exemplo: caso você tenha um aparelho celular com suporte à conexão 4G, o tempo de processamento do download de um vídeo de 1GB, por exemplo, pode chegar até 54 milissegundos. 

Já com a tecnologia 5G no Brasil, a expectativa é a de que esse intervalo seja entre 1 e 2 milissegundos no tratamento de um conteúdo de até 20GB. 

Outro aspecto que faz a diferença entre as duas redes também está na quantidade de aparelhos conectados em uma única rede. 

Hoje em dia, a cobertura do 4G permite até 10 mil aparelhos por quilômetro quadrado. A expectativa é a de que o 5G seja capaz de suportar até 1 milhão de equipamentos simultaneamente.

Quais países já operam com a tecnologia 5G?

Imagem de um globo terrestre representando estar sendo conectado pela rede 5G.

Os principais países que já operam com a tecnologia 5G são:

  • Estados Unidos;
  • China;
  • Singapura;
  • Hong Kong;
  • Coréia do Sul;
  • Arábia Saudita;
  • Itália;
  • Chile.

E quando a rede 5G vai estar disponível no Brasil?

A implementação já ocorreu em algumas cidades e deve continuar ao longo de 2022. O prazo para que todas as capitais recebam a inovação é 29 de setembro de 2022. 

Para todas as cidades do país, a melhor previsão é dezembro de 2029. Para saber mais, acompanhe uma reportagem sobre o assunto que explica mais sobre como se dará essa questão burocrática até que todos tenhamos acesso. 

Como a internet 5G pode ajudar no dia a dia?

Com o passar do tempo, o objetivo é que a rede 5G acabe substituindo parte das tecnologias de conexão móvel que utilizamos nos dias de hoje. 

Logo, isso com certeza afetará a forma como enxergamos a tecnologia e trabalhamos ao longo do tempo.

Por isso, o impacto dessa transformação digital em nossas vidas poderá ser presenciado em diferentes vertentes do nosso cotidiano. 

Entre eles, listamos algumas das quais o mercado já vem falando e podem se tornar bastante interessantes ao longo do tempo. 

1. Saúde

O setor da saúde que já vem passando por certas transformações no mercado, como a utilização de inteligência artificial e laudos médicos, por exemplo.

Logo, ambas as soluções podem aproveitar a rede 5G para otimizar ainda mais os seus processos.

Por conta da telemedicina, cada vez mais frequente nos nossos dias, garantir o maior número de pacientes, diagnósticos e consultas médicas pode fazer a diferença nos diagnóstico e na conexão de diferentes dispositivos para melhorar o atendimento em clínicas e hospitais de modo geral. 

2. Empresas

A tecnologia 5G também deve beneficiar todo o universo corporativo, seja você o gestor de uma pequena empresa ou uma multinacional, graças às possibilidades de mobilidade corporativa que estão em ascensão no País. 

Por conta da popularização do trabalho remoto em 2020, tendência acelerada principalmente pela pandemia da Covid-19, para termos à disposição uma estação de trabalho adequada, geralmente precisamos de uma série de equipamentos, como:

  • notebooks/desktops;
  • impressoras;
  • scanners;
  • tablets;
  • celulares corporativos; 
  • armazenamento em nuvem (maior velocidade por conta do HD);
  • entre outros. 

Com a internet 5G, por exemplo, esse universo passará a ganhar maior agilidade nos processos e o trabalho se tornará muito mais prático e rápido, impactando diretamente as tarefas diárias.

Além disso, o tempo de carregamento e inconsistência de sinal também poderá ser amplamente reduzido, aumentando a produtividade e o resultado da entrega aos clientes de modo geral. 

Isso impactaria diretamente outras áreas de negócios, como melhores oportunidades, como:

  • controle remoto de equipamentos;
  • máquinas;
  • robôs;
  • segurança;
  • conexão de infraestrutura do negócio. 
  • entre outros.

3. Aceleração em resultados

Ainda falando sobre o universo empresarial, muitas empresas passarão a ganhar mais agilidade em processos relacionados ao modelo de Mobile Device Management (MDM), bastante conhecidos como “modo foco”.

Além disso, o trabalho relacionado ao Service Desk também terá um impacto positivo em relação ao armazenamento de dados e backup em nuvem, por exemplo. 

Outros negócios que também poderão ter um impacto positivo com a rede 5G podem ser atribuídos a:

  • agronegócio;
  • educação;
  • estradas;
  • entre outros.

Como o 5G e a IoT (Internet das Coisas) podem se relacionar?

IoT é a sigla para Internet of Things, ou Internet das Coisas, em tradução para português. Assim, ele é uma tecnologia que aborda a interconectividade digital de objetos cotidianos.

Em outras palavras, a internet das coisas é uma rede de objetos comuns capazes de reunir e transmitir dados por meio da conexão virtual.

Exemplos práticos de equipamentos que pertencem ao IoT são:

  • Eletrodomésticos e eletroeletrônicos inteligentes;
  • Veículos automáticos;
  • Assistentes virtuais;
  • Aparelhos por comando de voz.

Como o nome indica, trata-se de “coisas” que possuem conexão com a internet, e, assim, desenvolvem operações e atividades que unem o ambiente físico e o digital.

Qual a expectativa da união entre 5G e IoT?

Depois de conhecer mais sobre o conceito de 5G e IoT, é possível estabelecer algumas previsões e expectativas da relação entre esses dois conceitos.

Isso porque as redes 5G possibilitam, por meio de suas características técnicas, a redução de conexões instáveis, trazendo maior eficiência e agilidade durante o seu uso.

Dessa forma, todos os tipos de itens e aparelhos usados no dia a dia poderão contar com conexão móvel via satélite, o que potencializa a sua atuação.

Atualmente, o mais comum é que aparelhos inteligentes da Internet das Coisas sejam ligados a redes fixas de Wi-Fi, ou conexões empresariais mais estáveis.

No entanto, a chegada do 5G também permitirá o uso desses equipamentos fora das áreas residenciais, por exemplo.

Além disso, o 5G ajudará a conectar itens comuns a outros dispositivos via internet, sem precisarem estar plugados à rede. Com isso, o usuário poderá controlar seus eletrodomésticos, usando seu celular fora de casa.

Uma vez que a relação entre 5G e IoT oferece uma combinação única de alta velocidade e baixa latência (perda de dados), a expectativa é que essa união torne a infraestrutura ainda mais estável para os equipamentos inteligentes.

Como o 5G pode impactar a Internet das Coisas?

Atualmente, o 5G e IoT já oferecem uma combinação que atua satisfatoriamente em diversos segmentos.

Conheça alguns dos principais impactos da nova geração de conexão móvel na Internet das Coisas:

Setor automotivo

Hoje em dia, já existem no mercado protótipos de veículos inteligentes, com funcionamento automático, que permitem que o motorista realize outras atividades enquanto viaja.

Todo o sistema veicular é programado para operar de maneira independente, por meio da conectividade com a rede.

Combinando essas duas tecnologias, será possível acompanhar o movimento de outros veículos no trânsito em tempo real. Isso poderá  possibilitar conexões  que podem evitar congestionamentos e acidentes.

Dessa forma, com o 5G e IoT, o setor automotivo poderá aprimorar ainda mais essa tecnologia.

Além de proporcionar uma direção mais segura, ele auxiliará o gerenciamento do controle de combustível, velocidade e também poderá beneficiar sistemas de logística.

Saúde

O 5G e IoT também já estão presentes na área da saúde, especialmente no desenvolvimento de novas tecnologias para a realização de cirurgias e tratamentos complexos.

Por exemplo, o uso de braços mecânicos e equipamentos minimamente invasivos auxiliam os profissionais na realização de procedimentos difíceis.

No entanto, com a conexão 5G, será possível realizar inúmeros processos de forma remota, economizando tempo e recursos.

Além disso, a conexão entre equipamentos robóticos e mecânicos que tornam as rotinas médicas mais acessíveis e descomplicadas também utilizam conexão de rede.

E, se ela for mais estável, permitirá procedimentos mais seguros.

Telecomunicações

Enquanto isso, a relação entre 5G e IoT no setor de telecomunicações já é uma das atuações mais populares do mercado.

A conexão 5G oferece uma rede mais estável e rápida para a troca de dados entre usuários.

Com isso, equipamentos inteligentes potencializam essa comunicação.

Dessa forma, será possível utilizar não apenas smartphones para conversar com outras pessoas, por exemplo, mas também outros aparelhos ainda mais rápidos e eficientes, como mencionamos anteriormente.

Indústria

O 5G e IoT também estão presentes na indústria, especialmente na automação de procedimentos e no monitoramento de equipamentos.

A Internet das Coisas permite o uso de aparelhos inteligentes e autônomos nas produções, dispensando:

  • Mão de obra humana;
  • Redução de custos;
  • Foco dos colaboradores em processos mais complexos.

Com uma conexão móvel rápida e de qualidade, esses equipamentos poderão operar sem precisarem, necessariamente, estar conectados à matriz.

Isso possibilita uma expansão considerável da indústria, além de trazer novas possibilidades de produção em massa, fortalecendo o setor.

Safe City (Cidade Inteligente)

Por fim, a relação entre 5G e IoT vai ainda mais longe, oferecendo um impacto significativo no desenvolvimento dos projetos das “Safe Cities”, ou cidades inteligentes.

Trata-se de um projeto ousado, que utiliza a tecnologia para tornar as cidades mais seguras, funcionais e com melhor qualidade de vida.

O uso de lâmpadas, transportes e câmeras de vigilância inteligentes já é empregado em várias localidades.

No futuro, a expectativa é que as novas tecnologias permitam uma cidade inteiramente automatizada, possibilitada pelo uso de conexões de rede ultra rápidas, junto de aparelhos cotidianos automatizados e integrados.

Quando os avanços entre 5G e IoT poderão ser percebidos?

Os avanços entre 5G e IoT já podem ser percebidos no dia a dia da sociedade. Por exemplo, assistentes sociais já são comuns em várias residências.

O uso de lâmpadas inteligentes, eletrodomésticos com programação automática e até mesmo robôs auxiliares de limpeza são tecnologias que também ganharam o mercado.

A longo prazo, os avanços entre essa relação serão ainda mais perceptíveis, por meio de projetos maiores e mais impactantes, como veículos e até mesmo cidades inteiras.

Mas, por enquanto, o uso do 5G e IoT já é visto, satisfatoriamente, no cotidiano das pessoas, e a tendência é uma expansão ainda maior nesse segmento.

Quer entender melhor sobre o tema? Então confira nosso FAQ especial com as top 10 perguntas sobre o 5G !

banner para faq com 10 perguntas sobre o 5g

 

Entenda a importância de ficar atento à revolução da rede 5G e de outras tecnologias para otimizar resultados no atendimento!

Dúvidas frequentes

Como este ainda é um tema novo e que muitos brasileiros estão começando a descobrir aos poucos, é normal surgirem algumas dúvidas durante o processo.

Por isso, reunimos alguns dos principais questionamentos que recebemos em nossa central para ajudar a entender sobre este processo. 

Como são as antenas 5G?

Funcionando por meio de radiofrequência, as antenas da rede 5G deverão funcionar da mesma maneira que as gerações anteriores.

Entretanto, a infraestrutura existente deverá ser adaptada às necessidades que a tecnologia precisa para que o serviço seja disponibilizado em sua capacidade máxima assim que forem homologados e autorizados pela Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel.

Quais as cidades que já contam com internet 5G?

Por ser uma nova tecnologia com diferentes implementações, atualmente apenas algumas cidades do Brasil já possuem acesso a este serviço. Porém, o serviço funciona com o nome de “5G DDS”, uma versão deste serviço.

Entre elas, podemos listar: 

  • Brasília (DF);
  • Rio de Janeiro (RJ);
  • Curitiba (PR);
  • Goiânia (GO);
  • Belo Horizonte (BH);
  • Porto Alegre (RS);
  • Salvador (BA);
  • São Paulo (SP);
  • Santos (SP).

Todas as operadoras podem vender a internet 5G?

A autorização para disponibilizar esse tipo de serviço deverá acontecer após a operadora de telefonia for aceita pela Anatel após leilão específico.

A partir de 2022, por exemplo, você já poderá contar com os serviços da Algar Telecom direcionados para a rede 5G.

Quais os principais desafios da rede 5G no Brasil?

Com o avanço da tecnologia e o 5G cada vez mais presente na pauta dos brasileiros, os próximos passos desse movimento devem ser animadores visando o curto e médio prazo. 

Enquanto as empresas vencedoras do leilão estarão se estruturando para disponibilizar a prestação de serviço, a Anatel estará responsável por instalar as antenas 5G em diferentes cidades brasileiras, além de otimizar as já existentes para serem capazes de receber o novo sinal. 

Conforme o passar do tempo, a tendência é que a tecnologia 5G esteja cada vez mais presente em nossas vidas.

O fato é que, em breve, estaremos vivendo mais uma revolução digital que, certamente, será capaz de impactar nossas vidas de forma direta, mudando até mesmo o nosso padrão de comportamento.

Qual o limite da velocidade da rede 5G? 

Estima-se que a rede chegue a 10GBps de download. Para uma noção do avanço: o 4G hoje oferece um limite de 300 Mbps de download. 

Qual será o valor da rede 5G? 

Se fala em planos de no mínimo 250 reais no Brasil, uma tendência que segue mais ou menos os preços fora do nosso país. 

A rede 5G é segura? 

Esse é um tópico importante que merece atenção e alguns parágrafos.

A rede 5G tem uma grande responsabilidade de suportar uma malha de dispositivos móveis e objetos IoT, que se conectam para trabalhar em diferentes funções. 

Esses objetos claramente possuem uma limitação em termos de segurança, por serem estruturas menores e menos robustas. Muitos são sistemas embarcados, com menos poder de processamento e memória, feitos exatamente para uma função específica. 

Assim, um ataque à proteção deles pode ser prejudicial à privacidade e até à vida das pessoas. Considerando o caso de missão crítica, por exemplo, ou até de diversos controles automatizados pela internet das coisas em uma cidade inteira, fica evidente essa questão.

Por isso, a rede e a infraestrutura do 5G trazem avanços significativos para a segurança.

Um deles é a implementação de criptografia, no tráfego de dados e na transmissão de identidade dos usuários conectados. O objetivo é garantir uma proteção em massa e evitar grandes transtornos relacionados a crimes, fraudes e ataques.

Outro ponto é a confirmação de autenticação em uma conexão entre dispositivos na rede. Essa confirmação se dá também por conta da localização, que ganha uma definição mais precisa. 

A menor latência será crucial para a segurança também, oferecendo funções relevantes com um atraso menor na conexão. 

Então, a resposta é sim. A tecnologia 5G é segura e propõe diversos avanços com relação aos padrões que já temos em segurança e proteção. 

Qual a relação da internet das coisas com a rede 5G? 

A internet das coisas e a rede 5G estão fortemente relacionadas. O 5G fornece a base para que múltiplos dispositivos se conectem entre e realizem suas operações típicas. 

Sua cobertura é de até 1 milhão de dispositivos no mesmo espaço, sem perdas de sinal e desempenho.

Ademais, a infraestrutura do 5G oferece menor latência, redução do consumo de bateria, maior velocidade de upload e download e maior suporte a transmissão de dados em tempo real. E por permitir transmissão de mais dados na rede, é crucial para a IoT.

Há também, como já comentamos, uma relação com a computação de borda e com o novo papel da nuvem nesse sentido. 

A borda surge para complementar a nuvem, fazendo com que o processamento de dados coletados por sensores IoT seja realizado em um local mais próximo ao dispositivo, na borda.

Isso é melhor do que o padrão atual, em que o processamento é centralizado na nuvem. Afinal, evita atrasos, latência e instabilidade para lidar com situações críticas.

Por um lado, o 5G vai permitir que se use a nuvem ainda mais e se dependa mais de internet nas empresas, ao mesmo tempo em que aponta para uma evolução do modelo de nuvem para menos centralização. 

Também favorece maior redundância dos servidores, de modo a permitir consistência e produtividade.

O 5G permite, portanto, que haja múltiplos objetos conectados, sem congestionar a rede, sem diminuir a agilidade na transmissão de dados e sem provocar quedas ou instabilidade.

Inclusive, por isso, se cunhou até mesmo o termo “internet das coisas massiva”. Serve justamente para oferecer a ideia de muitos dispositivos e objetos interagindo ao mesmo tempo. 

Qual o futuro da rede 5G?

Antena de rede de internet em uma cidade grande.

Quando falamos nas tecnologias relacionadas, estamos de fato desenhando o futuro da rede 5G. Os prognósticos são mais do que positivos e indicam que usaremos a rede muito mais do que imaginamos.

A ideia é inclusive que a conexão seja o padrão para dispositivos desktop também, nas casas das pessoas, permitindo conforto, estabilidade e velocidade. 

Por outro lado, ao sair de casa, será possível perceber a atuação da rede na cidade inteligente, na malha de coisas conectadas, controlando diversos aspectos: semáforos, carros, ruas, recursos, etc. 

Além disso, o 5G deve estar associado a um grande leque de tecnologias, tais como o machine learning, deep learning, a internet das coisas massiva, o Big Data, a nuvem, as realidades virtual e aumentada, etc. 

O 5G vai ajudar no desenvolvimento delas, ao passo que elas ajudarão a desenvolver o 5G.

Todos esses conceitos devem ser implementados na prática para gerar realidades cada vez mais conectadas, descentralizadas, seguras, etc.

Além disso, teremos automação e a ação de dispositivos conectados em diversos âmbitos: na gestão das empresas, na automação de processos, na logística, no setor financeiro, no setor jurídico, na saúde, etc.

Quando a internet 5G chega no Brasil?

Estima-se que chegará a todas as cidades do país em dezembro de 2029.

Vou precisar trocar de celular para conectar ao 5G?

Provavelmente sim. Contudo, quando a rede for padrão em todas as cidades, teremos apenas celulares com a tecnologia disponíveis. Por enquanto, você ainda pode usar o seu smartphone 4G. 

Conclusão

Como foi visto neste conteúdo completo, a rede 5G trará diversos impactos positivos para quem quiser adotá-la em âmbito pessoal e profissional. 

É preciso estar atento às suas vantagens, a sua relação com tecnologias-chave como internet das coisas e nuvem, bem como outros aspectos. 

Avalie este post