Migração para a nuvem: importância e como fazer de forma segura?

Imagem de um notebook com nuvens desenhadas atrás. Migrar para nuvem os seus documentos é importante. Conheça os benefícios e como fazer de forma segura.

Será que é hora de fazer a migração para a nuvem? Essa é uma pergunta que assola o dia a dia de muitos gestores de TI, pois isso modifica a maneira de conduzir os processos de negócio.

Mas existem indícios de que essa tecnologia vem se tornando fundamental nas empresas. De acordo com dados do Markets and Markets, o mercado global de cloud computing deve atingir US$ 947,3 bilhões até 2026. 

Essa informação só reforça que a transformação digital em negócios de todos os segmentos econômicos vem ocorrendo em diversas frentes. E uma delas é migrar para a nuvem.

Pensando nisso, explicamos o que é migração para a nuvem, os motivos e os passos para realizá-la, bem como os desafios e as principais estratégias de migração para cloud computing.

Acompanhe!

Confira as nossas soluções digitais para empresas!

Leia também:

O que é migração para a nuvem?

Migrar para a nuvem é mudar de um modelo tradicional de armazenamento (HD, pendrive etc.), gerenciamento e processamento de dados críticos para um modelo de cloud computing. 

Entendeu o que é migração para a nuvem? O conceito é simples, mas muitos gestores precisam se convencer de que essa solução traz benefícios para a empresa.

Por isso, apresentamos os motivos para fazer a migração para cloud computing.

Por que você precisa migrar para a nuvem?

A migração de servidores para a nuvem é trabalhosa. Há muitos casos de insucesso quanto a essa solução por vários motivos, diante da complexidade da questão.

Mas quando ela é bem feita, ela oferece uma série de benefícios para o negócio, veja!

Segurança

Uma solução de nuvem para empresas, quando bem implementada, é um dos locais mais seguros para armazenar os dados corporativos. Isso porque ela conta com recursos voltados à segurança da informação, como:

  • Criptografia;
  • Barreira de proteção dos firewalls;
  • Atualizações de segurança regularmente.

Além disso, é um modelo que reduz os riscos de avarias, roubos, tráfego indesejado e outras ameaças presentes no armazenamento em infraestrutura física.

Fácil Acesso

Promover a colaboração entre as equipes é um dos desafios mais comuns para os gestores empresariais. 

Com o modelo em nuvem, ela é promovida de maneira natural, já que todos os arquivos, sistemas e informações de trabalho estão salvos e concentrados em um só lugar. Todos podem acessá-la a qualquer momento e local.

Melhor desempenho

A migração para a nuvem é uma prática que possibilita à empresa ter um melhor desempenho em seus processos internos.

Diariamente, os negócios lidam com novas informações, e o volume de dados não para de crescer. Com as soluções de cloud computing, a capacidade de processamento se adequa às demandas da empresa. 

É o que chamamos de escalabilidade. 

Custo-benefício 

O custo-benefício da migração para a nuvem aparece em diversas frentes, tais como:

  • No modelo de serviço (software as a service), as empresas pagam somente pelos recursos que utilizam;
  • A nuvem elimina e/ou reduz os altos custos com hardware, licenças de software, novos equipamentos e energia;
  • Soluções em cloud computing oferecem facilidade de configurações e gerenciamento, impactando positivamente no orçamento da TI. 

Caso queira saber mais sobre otimizar custos e ter mais segurança na nuvem, confira nosso webinar sobre o assunto:

Competitividade

A migração de servidores para a nuvem já deixou de ser tendência. Inúmeras organizações estão investindo nessa transição diante dos diversos benefícios que acabamos de apontar.

Por isso, as empresas que acompanham as novas tecnologias do mercado, focadas em favorecer o desempenho dos negócios, ganham competitividade. 

Atualização em tempo real

Uma empresa que realiza a migração de servidores para a nuvem não precisa se preocupar com a atualização desta infraestrutura de TI. 

A responsabilidade é do provedor do serviço, que implantará atualizações regulares de software, incluindo as atualizações de segurança.

Diante de tantas vantagens, a próxima pergunta a ser respondida é: como se dá o processo de implantação e migração para o cloud computing?

Migração para a nuvem: como fazer de forma segura?

Imagem de uma nuvem representando uma migração sendo realizada. Saber como migrar para a nuvem é importante para evitar qualquer tipo de ocorrência.

Para fazer uma transição segura, o gestor responsável deve avaliar os impactos que acontecerão no negócio. 

Mas como migrar para a nuvem? Tudo começará com um bom planejamento para entender as necessidades do seu negócio.

Planeje

Quais são os motivos da migração para a nuvem? Qual estratégia pode oferecer um melhor suporte para os negócios? O que será migrado, já que nem todas as aplicações se beneficiam com a nuvem?

Respondendo a essas questões, teremos o início de um planejamento. Seu ponto de partida é avaliar as demandas atuais das empresas, seus processos internos e os tipos de informação corporativa. 

Faça um cronograma de migração para nuvem

A etapa seguinte ao planejamento é o cronograma de migração de servidores para a nuvem. Afinal, a mudança de modelo de infraestrutura de TI é uma tarefa complexa. 

A melhor saída é estabelecer uma integração gradual. Com o mapeamento completo do processo, é preciso definir os pontos mais importantes e as etapas de transição. 

Considere os serviços e dados que serão migrados em cada fase, bem como os prazos para o processo e a mensuração da eficácia.

Escolha um bom serviço de armazenamento na nuvem 

Com o planejamento e o cronograma em mãos, é hora de decidir a solução de nuvem para empresas. 

A opção por nuvem pública, híbrida, privada ou multicloud dependerá das necessidades atuais e futuras da empresa. Há diversos modelos de serviço cloud disponíveis.

O importante é analisar as vantagens e desvantagens de cada tipo de solução, sempre com o filtro de quais são as demandas do negócio.

Faça treinamentos 

Existe um momento pós-migração, que é a implantação do ambiente cloud. Nesta etapa, é preciso centralizar e integrar diversos colaboradores e setores do negócio com treinamentos.

Não se esqueça de definir alguns pontos críticos, que podem diminuir a incidência de erros e garantir a eficácia do processo de migração. São eles: 

  • Termos de uso para os softwares;
  • Regras de colaboração para a edição de arquivos;
  • Normas de acesso aos dados armazenados na nuvem.

Teste a segurança 

Por fim, chegamos ao teste de segurança, última etapa da migração para a nuvem. Essa é uma fase crítica, que exige cautela, pois todos os dados corporativos serão armazenados no novo servidor.

Por isso, teste a segurança com tentativas de driblar o sistema. Dessa forma, será possível atingir a proteção adequada do ambiente e identificar gargalos.

Entendeu como migrar para a nuvem? Agora que você já sabe os passos para fazer a migração para a nuvem, vamos conhecer algumas estratégias que podem amparar os responsáveis durante esse processo.

guia de migração para nuvem

Principais estratégias de migração para nuvem (6 Rs da migração)

Imagem de um dedo tocando em uma nuvem. Existem estratégias de migração para a nuvem, conhecidas como os 6 Rs.

Na hora de migrar para nuvem e passar pelas etapas, algumas ações técnicas contribuem para o processo de implantação e migração para o cloud computing.

1. Rehosting

Rehosting ou nova hospedagem nada mais é do que transportar a cópia exata do ambiente atual, sem muitas alterações, para obter o ROI mais rápido. 

É uma estratégia adequada para empresas mais avessas à transformação digital ou sem estratégia de longo prazo de aproveitamento de recursos avançados de nuvem.

2. Replatforming

A atualização de plataforma são os ajustes adicionais de otimização da nuvem necessários após a variação na elevação e no deslocamento. 

A arquitetura central das aplicações não muda, motivo pelo qual é uma estratégia indicada para empresas conservadoras que ainda precisam criar confiança na nuvem a partir das vantagens que ela oferece.

3. Repurchasing

A reaquisição é a migração das aplicações para um novo produto nativo da nuvem. A estratégia é desafiadora, pois se perde a familiaridade com o código atual, sendo necessário treinar a equipe na nova plataforma. 

É uma opção econômica em caso de migração para cloud computing quando o cenário antigo é altamente personalizado.

4. Refactoring

Refatoração é reconstruir as aplicações do zero. Por essa característica, é uma opção bem cara, ao mesmo tempo que é a mais compatível com versões futuras.

5. Retiring

Retiring ou descontinuação é desativar as aplicações que não são mais úteis, o que pode provocar economia. 

6. Retaining 

Retaining é a retenção, uma estratégia que barra a migração de servidores para a nuvem naquele momento. Os motivos mais comuns são:

  • As empresas ainda não vêem sentido, ainda, em adotar a nuvem;
  • É impossível extrair os dados das instalações devido à conformidade;
  • A empresa não está pronta para priorizar um aplicativo atualizado recentemente.

Essas são as 6 técnicas de migração para a nuvem que podem ajudar o responsável durante o processo mesmo diante dos desafios. E quais são as barreiras neste processo? 

Desafios da migração de servidores para a nuvem 

Imagem representando uma nuvem conectada por um cabo. Conheça os desafios da migração de servidores para a nuvem.

Ter suporte para migração para a nuvem não é a certeza de que o processo se dará de forma perfeita. Cada empresa possui desafios próprios que se conectam às suas necessidades.

Veja a seguir alguns deles.

Mudança cultural

Imagine que você é um gestor de TI que sempre teve um apreço pela inovação. Por mais que isso aconteça, a cultura da inovação pode não ser o padrão na empresa em que trabalha, certo?

A transição para a nuvem pode esbarrar em uma mudança cultural, pois traz novas eficiências e processos para a organização. 

Isso demanda a familiarização de toda a organização com esses novos processos e métodos empresariais, o que pode ser um desafio em empresas mais conservadoras.

O ideal é adotar uma comunicação aberta e transparente, inclusive quanto aos treinamentos das equipes, o que pode trazer mais segurança aos usuários.

Período de interrupção e indisponibilidade

E se durante a migração de servidores para a nuvem houver interrupção das atividades? Ela pode ser desastrosa tanto para o cliente da empresa quanto para o desempenho da aplicação. Mesmo planejando, há imprevistos que podem acontecer. 

Diante disso, a dica é planejar a migração para períodos com baixo tráfego, fazer backup adequado e alocação de recursos para oferecer suporte. Vale, também, informar os usuários sobre a janela de migração e as possíveis indisponibilidades.

Perda de dados

Outro risco relevante da migração para a nuvem é a perda de dados, que ficam mais vulneráveis durante o processo. 

Ter atenção a este aspecto é aplicar controles de segurança (criptografia de aplicativos e gerenciamento de acesso privilegiado) para minimizar o risco de violação.

Falta de conhecimento para gerenciamento do novo modelo

Sua equipe de TI é formada por diversos profissionais, e nem todos confiam na nuvem e/ou possuem habilidade para gerenciar os servidores. 

A falta de conhecimento pode trazer inúmeros prejuízos, inclusive relacionados à segurança da informação. Por isso, é fundamental realizar treinamentos sobre a nova infraestrutura.

Em casos onde isso não é possível, há ainda a possibilidade de recrutar recursos ou buscar um provedor de serviços para supervisionar as operações diárias. 

Interoperabilidade comprometida

No processo de migração, o responsável poderá ter dificuldades em fazer com que as atuais aplicações se comuniquem com o ambiente de nuvem mais recente. 

A solução é adaptar os processos delas aos do provedor de nuvem.

Como escolher o melhor serviço de computação em nuvem?

Conhecidos os desafios e as técnicas de migração para a nuvem, é hora de escolher o provedor do serviço. O que considerar?

Avaliando os serviços oferecidos

O provedor fornece um conjunto de infraestrutura e políticas de segurança adequado e eficiente? Como ele protege os dados da sua empresa e lida com casos de vazamento? 

Essas são questões para avaliar os serviços daquele fornecedor antes de contratá-lo. Vale, também, buscar referências de clientes anteriores e eventuais reclamações na internet.

Observando o suporte

Um bom provedor de solução de nuvem para empresas oferece um bom suporte ao cliente. Por isso, entenda as formas de atendimento e veja se são satisfatórias inclusive aos finais de semana.

Informando-se sobre a implementação

Como é o suporte para migração para a nuvem? E para implementação? Ela ocorre de maneira fluida com o cotidiano da sua empresa e atende às diferentes plataformas e sistemas de negócio?

Informe-se sobre a implementação do provedor para entender as possibilidades de oferta do serviço.

Conferindo a escalabilidade

A escalabilidade é uma das grandes vantagens da nuvem. Portanto, é preciso buscar por um bom provedor, que ofereça planos flexíveis que atendam às diferentes necessidades em tráfego e memória, 

Ter a possibilidade de configurações robustas é muito importante em caso de crescimento, fique atento.

Pesquisando a credibilidade da empresa

De que adianta querer usufruir de todos os benefícios da nuvem se o provedor não possui capacidade de entregar um bom serviço?

Antes de escolher o melhor serviço de computação em nuvem, avalie a credibilidade e a reputação do fornecedor. É um indício para avaliar seu posicionamento no mercado.

Agora você já sabe o básico sobre migrar para cloud computing. 

Dicas bônus: o que se certificar antes de migrar para a nuvem?

Hoje, toda empresa que deseja utilizar a tecnologia como componente estratégico para melhorar seus processos e resultados, inevitavelmente, precisará migrar para nuvem.

De fato, essa é a estratégia mais econômica e eficaz para alcançar a flexibilidade, disponibilidade, escalabilidade e segurança que as empresas precisam para se tornarem competitivas no mercado atual.

Devido a isso, uma pesquisa feita pelo Gartner prevê que, até 2023, 40% ou todas as cargas de trabalho corporativas serão implantadas em infraestruturas e serviços de plataforma em nuvem.

Portanto, para não ficar para trás, as empresas precisam iniciar suas jornadas de migração o quanto antes.

Porém, esse processo deve ser conduzido de forma bem planejada, a fim de determinar o que, como, quando e para onde migrar.

A seguir, você conhecerá as principais dicas que devem ser seguidas antes de sua empresa começar a migrar para nuvem. Assim, você poderá evitar erros e conseguirá obter o máximo de benefícios dessa tecnologia. Confira!

Determine por que sua empresa precisa migrar para nuvem

Esta é a primeira pergunta a ser respondida, já que você não quer fazer essa mudança apenas porque todos estão fazendo.

Você precisa ter uma visão geral de sua empresa para determinar quais áreas podem se beneficiar com a migração.

As razões para migrar para nuvem variam de empresa para empresa. Você pode, por exemplo, sentir que o desempenho de certas aplicações e sua interoperabilidade com outros sistemas podem ser aprimorados com sua mudança para a nuvem.

Ou talvez você perceba que a migração do seu banco de dados e ERP para a nuvem é essencial para colocar em prática uma estratégia eficaz de trabalho remoto.

O que você precisa determinar é quais benefícios da nuvem se encaixam no contexto da sua empresa. Em seguida, analisar as possibilidades e os custos para concretizar a migração.

Defina o que será migrado

Migrar para nuvem pode trazer benefícios para uma série de processos e aplicações. No entanto, isso não significa que sua empresa precisa mover 100% da operação.

É preciso, antes disso, analisar o retorno do investimento (ROI) de cada componente a ser migrado, para, assim, determinar se vale ou não a pena.

Defina os padrões de segurança de dados

Agora que a Lei Geral de Proteção de Dados entrou em vigor, as empresas precisam estar cientes que elas devem zelar pela segurança e confidencialidade dos dados pessoais de clientes ou de terceiros que estiverem em seu poder.

A qualquer momento, você precisa saber onde está e ter certeza de que é seguro. É por isso que sua empresa precisa estar sempre ciente da localização dos dados e das leis que os regem.

Para garantir que seus dados sejam controlados adequadamente, primeiro você precisa alinhar os requisitos de governança e proteção dos aplicativos com as disposições de segurança de suas plataformas de nuvem em potencial.

Isso ocorre porque você precisa ter certeza de que seus aplicativos e dados serão protegidos com segurança, mas totalmente acessíveis e auditáveis.

Escolha a arquitetura de nuvem ideal para a sua empresa

Antes de migrar para nuvem, responda a esta pergunta: sua empresa quer escolher um único provedor de nuvem e migrar seu aplicativo para que seja executado de forma otimizada para aquele ambiente único ou deseja que seu aplicativo seja executado em vários provedores de nuvem?

Otimizar seu aplicativo para trabalhar com um provedor de nuvem específico é relativamente simples.

Suas equipes de desenvolvimento têm apenas um conjunto de APIs de nuvem para aprender, e seu aplicativo pode aproveitar tudo o que o provedor de nuvem escolhido oferece.

A desvantagem dessa abordagem é o bloqueio do fornecedor. Depois de atualizar seu aplicativo para funcionar apenas com determinado provedor, mover seu aplicativo para uma plataforma concorrente pode exigir tanto esforço quanto a migração original para a nuvem.

Além disso, ter um único provedor de nuvem pode impactar negativamente sua capacidade de negociar termos importantes – como preços e SLAs – com o provedor de nuvem.

Defina de que forma a cultura de trabalho da sua empresa mudará

Migrar para nuvem não é apenas uma estratégia de negócios ou tecnologia, mas é uma mudança organizacional massiva em si mesma.

Como tal, exige uma mudança de perspectiva, com aprendizado de novas habilidades e esquecimento de algumas antigas.

Frequentemente, isso modifica a cultura organizacional inteiramente e cria um novo modelo de colaboração no local de trabalho.

A migração para a nuvem é uma grande mudança de negócio e as partes interessadas devem receber uma explicação de por que isso é feito e como mudará a organização.

É, portanto, útil conduzir apresentações e sessões de treinamento para que a equipe acelere os novos procedimentos de armazenamento e compartilhamento de informações.

Migrar para nuvem de forma bem-sucedida significa trazer seu pessoal com você também, não apenas seus dados e aplicativos.

Encontre o provedor de nuvem certo

Migrar para nuvem, certamente, traz muitas vantagens para as empresas. No entanto, para alcançá-los é fundamental adotar a estratégia certa e isso inclui, dentre outras coisas, a escolha do provedor certo.

E, para escolher o provedor ideal, é importante que você se atente a algumas características-chave, como:

  • Liderança de mercado
  • Competência técnica
  • Satisfação do cliente
  • Experiência
  • Reputação

Depois de se concentrar em uma lista de fornecedores de nuvem, você precisa se aprofundar para examinar seus recursos específicos. Aqui está o que você deve ter em mente:

  • Suas soluções para gerenciamento de atualizações e patches
  • O número de clientes que já usam seus serviços
  • Abordagem para segurança de dados
  • Qualidade da equipe de engenharia
  • Qualidade de data centers
  • Suporte ao cliente

banner para ebook como usar a nuvem a favor da sua empresa

Conclusão

Imagem de uma nuvem próxima a um computador.

A migração para a nuvem nada mais é do que mudar os ativos digitais (dados, aplicativos e cargas de trabalho) para servidores na nuvem.

Essa transição traz muitos benefícios, como segurança da informação, colaboração entre equipes e melhor custo-benefício. Isso, claro, se ela for bem feita, com boas técnicas de migração para a nuvem.

Com as estratégias corretas e um bom provedor de serviços, o gestor de TI consegue vencer os desafios e ter uma gestão de inovação!

Avalie este post