Cloud security: o que é e como garantir a segurança na nuvem?

Homem digita em um notebook enquanto aparece um símbolo de nuvem protegida por um cadeado. A cloud security, ou seja, a segurança na nuvem, é importante para todas as empresas.

Em um mundo cada vez mais conectado, a cloud security ou segurança na nuvem tem se tornado cada vez mais importante.

Mesmo as empresas que ainda não adotam a nuvem para armazenar dados estão utilizando serviços na nuvem para executar tarefas específicas, como hospedar websites e aplicativos.

Isso porque ela oferece benefícios como confiabilidade, disponibilidade e proteção contra ataques. Por isso, nada mais fundamental do que garantir a segurança na nuvem das empresas.

Mas afinal, o que é segurança cloud computing? Como garantir a segurança na nuvem? Explicamos essas e outras questões neste artigo.

Confira!

Precisa comprar espaço na nuvem e garantir a proteção de informações e arquivos? Conheça o Cloud Backup!

Leia também:

O que é cloud security (segurança na nuvem)?

Cloud security é um conjunto de procedimentos e tecnologias projetadas para lidar com ameaças externas e internas à segurança dos negócios hospedados em nuvem, com o fim de proteger aplicativos, dados e serviços de infraestrutura.

Em outras palavras, o que é a segurança em nuvem? São práticas que protegem um ambiente de cloud computing de vulnerabilidades e ameaças, garantindo disponibilidade, confidencialidade e integridade.

E por que se preocupar com a cloud security?

Qual é a importância da cloud security?

As organizações vêm acelerando suas iniciativas de transformação digital. Para tanto, reorganizam agressivamente suas operações e reconsideram seus modelos de negócios de forma completa.

Na ânsia de se transformarem digitalmente, deixam de lado os controles de segurança eficazes para sua infraestrutura. Sem as boas práticas, torna-se difícil avaliar e gerenciar os riscos.

E qual a consequência disso? Esse amplo uso está criando novas hipóteses para os criminosos cibernéticos cometerem ataques ao ambiente dos negócios.

Neste contexto, aparece a importância da segurança na nuvem. Por que se preocupar com a cloud security?

Porque ela se traduz em uma estratégia coesa para encontrar o equilíbrio entre o uso de serviços em nuvem e a proteção de dados e transações confidenciais.

Ao adotar medidas ativas para melhorar sua segurança na nuvem, as organizações lidam melhor com os riscos significativos de governança e conformidade ao gerenciar informações do cliente, independentemente de onde elas são armazenadas.

Esse é só um dos benefícios das práticas de segurança do ambiente hospedado em nuvem.

Benefícios da cloud security

Agora que você já sabe o que é e por que se preocupar com a cloud security, veja os principais benefícios ao adotar esse conjunto de procedimentos e tecnologias de segurança.

Confiabilidade

A segurança da nuvem torna os ambientes de TI mais confiáveis, pois ajuda a reduzir as vulnerabilidades e fornece um maior controle sobre as configurações da infraestrutura e dos aplicativos.

Em outras palavras, quando uma organização investe em práticas de segurança do ambiente hospedado em nuvem, ela está se protegendo contra problemas que afetam diretamente a disponibilidade dos serviços e, consequentemente, prejudicam o negócio.

Disponibilidade

Homem e mulher aparecem diante de um computador num escritório com vários outros aparelhos tecnológicos. Um dos benefícios da cloud security é proporcionar uma disponibilidade de trabalho constante.

Garantir a disponibilidade é outro dos benefícios da segurança da nuvem.

Por meio de uma estratégia de segurança bem planejada, as organizações conseguem manter seus ambientes de computação em nuvem longe de ataques cibernéticos e, consequentemente, em funcionamento constante.

Proteção contra ataques

Esse conjunto de práticas e tecnologias também aumenta a proteção dos ambientes em nuvem contra os ataques à segurança dos dados. 

Existem ferramentas de controle preventivo, de detetive (revela sistemas não autorizados e faz auditorias), automatizados e administrativos que fazem essa proteção.

Como vimos, os criminosos cibernéticos estão se aproveitando da migração para a nuvem para atacar as organizações. Por isso, garantir a segurança cloud deixou de ser opcional e se tornou fundamental para as empresas.

Segurança de dados

Por fim, vale destacar que a segurança da nuvem ajuda a manter os dados seguros. Como apontamos, uma das principais preocupações das organizações atualmente é o vazamento de informações confidenciais dos clientes, principalmente por causa da LGPD.

Com a cloud security, as empresas ganham mais controle sobre os dados, gerenciam melhor os riscos e, consequentemente, conseguem evitar que essas informações caiam nas mãos dos criminosos cibernéticos.

Até o momento, você já consegue responder à pergunta “O que é segurança cloud computing?” e quais os seus benefícios, certo? Porém, antes de aprender como garantir a segurança na nuvem, é preciso entender a estrutura da cloud.

Como funciona a estrutura da nuvem?

O ambiente de nuvem oferece muitas opções aos usuários, com três modelos de serviço e quatro modelos de implantação.

Os modelos de serviço são:

  • Plataforma como serviço (PaaS): o cliente pode provisionar, implantar ou criar seu software em ambiente de terceiros. É um serviço muito utilizado por empresas de desenvolvimento de softwares.
  • Software como serviço (SaaS): a organização utiliza um software hospedado na infraestrutura em nuvem, sem precisar de computador ou servidor para compilá-lo. Basta um dispositivo para acessar o software online.
  • Infraestrutura como serviço (IaaS): o serviço fornece a infraestrutura básica para a empresa, como se fosse um data center virtual, com recursos de armazenamento, computação e rede necessários para o ambiente corporativo.

Para saber com qual o modelo de serviço um fornecedor trabalha, o interessado deve, principalmente, entender quais são as responsabilidades contratuais do provedor de nuvem.

Além dos modelos de serviço, temos também os modelos de implantação. São eles:

  • Público: disponível para qualquer pessoa, como é o caso da Microsoft Azure, Amazon Web Services (AWS) e Google Cloud.
  • Privado: criado especificamente para uma empresa. É um modelo em que o hardware não é compartilhado com terceiros e que pode ser construído em nuvem pública, dentro de data center próprio ou em um provedor de serviços gerenciados.
  • Comunidade: é o compartilhamento entre empresas, em que o serviço ou os dados são compartilhados . Nuvens construídas por um governo, por exemplo, podem ser compartilhadas entre vários órgãos públicos.
  • Híbrido: utiliza pelo menos dois dos modelos de implantação, podendo ser público e privado, público e comunidade, privado e comunidade ou com todos os três.

Ao compreender a estrutura, podemos abordar qual a arquitetura da segurança da nuvem.

Arquitetura da cloud security

A arquitetura de segurança da nuvem é relativamente simples, pois acrescenta elementos de segurança à arquitetura básica. 

Antimalware, firewalls, sistemas de detecção de intrusão e serviços de segurança em nuvem (Data Leak Prevention, ferramenta de varredura etc.) são alguns desses elementos.

Para que isso seja feito, é preciso ter profissionais que projetam a estrutura segura, como o arquiteto ou engenheiro de segurança, e o auditor de nuvem.

Perceba, portanto, que a arquitetura da cloud security vai muito além do hardware ou do software. E ela começa com o gerenciamento de riscos.

Gerenciar riscos é abordar três pontos críticos: continuidade de negócios, segurança física e cadeia de suprimentos.

Como o negócio pode ser afetado negativamente se o provedor de nuvem falhar? É fundamental ter estratégias de continuidade de negócios e planejar a recuperação de desastres.

E se houver invasão ao data center do provedor de nuvem? 

Antes de contratá-lo, é preciso realizar uma análise sobre o fornecedor e entender as práticas de segurança que ele utiliza. Afinal, você precisa conhecer onde estão seus dados para evitar problemas com a LGPD.

Com o conhecimento da estrutura da cloud e de sua segurança, podemos aprender como garantir a segurança na nuvem!

Como garantir a segurança na nuvem?Homem mexe em notebook em pé. Para garantir a segurança na nuvem é necessário evitar a má configuração.

A prioridade de segurança na nuvem para as empresas em 2022, de acordo com a Statista, é evitar a má configuração das nuvens. O treinamento em segurança na nuvem também é outra preocupação.

Diante dessas preocupações, como garantir a segurança da nuvem? Antes de mais nada, a empresa deve pensar na particularidade dos seus negócios. 

Ou seja, cada organização deve avaliar sua preparação de segurança e aplicar medidas adequadas de segurança e recuperação de seus sistemas.

E quais são essas medidas? Podemos pensar nos pilares que o National Institute of Standards and Technology (Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia), dos Estados Unidos, traz: identificar, proteger, detectar, responder e recuperar.

Ao detalhar esses pilares, temos os 7 princípios da cloud security, que nos ensinam como garantir a segurança na nuvem:

  1. Viabilidade em longo prazo: as partes devem ter um contrato que garanta que os dados armazenados ficarão disponíveis para recuperação e transferência em caso de migração.
  2. Segregação de dados: é fundamental, antes de contratar um provedor de nuvem, pesquisar como ele isola os dados dos diferentes clientes dentro de sua estrutura, bem como o tipo de criptografia utilizado.
  3. Localização dos dados na rede em nuvem: o provedor de nuvem deve ter comprometimento ao armazenar e processar dados em conformidade com a lei, e isso deve ser cobrado pelo gestor de TI da empresa cliente.
  4. Recuperação dos dados: o cliente e o fornecedor devem, juntos, garantir rotinas de backup e plano de recuperação de dados para atuar imediatamente em caso de incidentes. Em geral, isso é estabelecido em um SLA (Service Level Agreement).
  5. Acesso privilegiado de usuários: é a realização de um controle de acesso dos usuários, com possibilidade de ceder privilégios de administrador para pessoas específicas. O processo é feito por meio de softwares de gestão e monitoramento de rede.
  6. Apoio à investigação: as partes devem ter o compromisso de seguir as normas do país onde a estrutura é mantida e estabelecer responsabilidades e práticas pré-definidas diante de uma auditoria. Para tanto, é preciso ter contratos e termos de uso transparentes.
  7. Compliance com regulamentação: a empresa se responsabiliza pela segurança e integridade dos dados, especialmente a partir do gestor de TI. A melhor prática neste sentido é a orientação aos funcionários sobre como lidar com informações confidenciais e sensíveis.

Além dos 7 princípios da cloud security, o setor deve pensar nas ferramentas mais adequadas para a segurança da nuvem.

Alguns bons exemplos são tecnologias de defesa em profundidade, machine learning, IAM (Identity and access management), serviços de prevenção de perda de dados (DLP) e outras.

Outro ponto que se destaca dentre essas práticas é a responsabilidade e a confiança de segurança compartilhada.

Como funciona o modelo de responsabilidade compartilhada para a segurança na nuvem?

O modelo de responsabilidade compartilhada estabelece que o cliente e o fornecedor da cloud são responsáveis ​​por diferentes aspectos da segurança, de acordo com seus compromissos definidos em contrato.

Isso significa que, se houver um vazamento de dados ou qualquer outro tipo de incidente, as duas partes envolvidas serão responsáveis. 

O cliente da cloud, por exemplo, será o responsável pelos seus dados, enquanto o fornecedor da cloud será o responsável pela infraestrutura de segurança.

Em outras palavras, o modelo de responsabilidade compartilhada delimita a área de responsabilidade do provedor em relação à manutenção da disponibilidade e da segurança do serviço, mas também a responsabilidade do cliente assinante de garantir o uso seguro do serviço contratado.

Qual é o futuro da cloud security para as empresas?

O futuro da segurança da nuvem no ambiente corporativo precisa atender às complexidades da proteção dos ambientes em nuvem, que estão cada vez mais populares e acessíveis.

Esse crescimento, como apontamos, traz um grande problema: os ataques cibernéticos estão mais sofisticados, o que demanda das empresas a busca por soluções de segurança robustas e confiáveis.

Diante deste cenário, o futuro da segurança da nuvem é buscar formas de garantir que os dados estejam seguros e protegidos, bem como assegurar a disponibilidade dos serviços.

Além da escolha certeira do provedor da nuvem, será preciso pensar em segurança da infraestrutura, do banco de dados e dos aplicativos em nuvem.

Na transição para o ambiente em nuvem, é fundamental adotar serviços avançados do provedor. 

Dessa forma, a empresa consegue enfrentar os desafios deste processo, como as sobrecargas de alerta, ataque em expansão e escassez de habilidades de segurança cibernética.

Por fim, reforçamos a necessidade da adoção da tecnologia IAM (Identity and access management), que realiza o controle de acesso aos dados.

Veja como comprar espaço na nuvem e simplificar a rotina de cópias de segurança da sua empresa!

Perguntas frequentes

Pessoa mexe em notebook enquanto aparece símbolos tecnológicos na tela. O tema da cloud security traz algumas dúvidas, que foram abordadas neste artigo da Algar Telecom.

O que é segurança cloud computing? Por que se preocupar com a cloud security? Essas perguntas já estão esclarecidas, mas ainda há outras dúvidas sobre o tema. Veja!

Como funciona a segurança na nuvem?

A segurança da nuvem funciona basicamente adicionando elementos de segurança à arquitetura básica da empresa, com profissionais capacitados, gerenciamento de risco e tecnologias como firewalls, serviços de segurança em nuvem e sistemas de detecção de intrusão.

Na prática, é adotar ações para proteger o ambiente cloud computing de vulnerabilidades e ameaças.

Quais são as práticas recomendadas de segurança na nuvem?

Para garantir a segurança da nuvem, é importante adotar os princípios da cloud security, como controle de acesso, segregação e recuperação de dados.

Além disso, a empresa deve analisar as ferramentas e as políticas de segurança do provedor de nuvem, e criar uma estratégia de continuidade de negócios em caso de falha do provedor. 

A cloud security apresenta riscos?

Sim. A falta de familiaridade com as configurações da segurança do ambiente em nuvem, os erros de configuração, e a falta de experiência em operar e proteger sistemas em nuvem são alguns riscos comuns..

Conclusão

A cloud security é fundamental para as empresas que utilizam a nuvem, pois garante a proteção dos dados e da infraestrutura.

Quando o modelo de responsabilidade compartilhada é bem implementado, é possível usufruir dos benefícios que essa segurança traz, tais como a confiabilidade do ambiente e a proteção contra ataques.

Que tal conhecer melhor a diferença entre os tipos de nuvem?

Avalie este post