Gestão de Dados: saiba o que é, importância e 7 dicas para fazer

o que é gestão de dados e como fazer?

Os dados movimentam a economia e estruturam as empresas hoje em dia. São ativos gerados e construídos a partir do uso de sistemas e do funcionamento das operações, por isso são pilares cruciais para melhorar o dia a dia.

Além dessa visão mais operacional dos dados, podemos empregar também um viés analítico, ao entendê-los como ativos de inteligência. 

A gestão de dados funciona, portanto, como uma forma de aproveitar melhor os dados em um ecossistema para obter maior inteligência. 

Neste conteúdo, falaremos de forma abrangente sobre a gestão de dados e você entenderá como ela funciona. Confira! 

Leia também:

O que é Gestão de Dados?

A gestão de dados compreende os esforços de coletar, manter e processar dados para análise e geração de insights. Esses insights serão usados, por exemplo, para tomadas de decisão importantes para o negócio.

Assim, é possível alcançar o estado de orientação aos dados, algo que é tão comum em termos de transformação digital. A chamada cultura data-driven busca tomar decisões somente com apoio de dados estratégicos, com a ajuda de dados que funcionam como norte.

Nesse caso, é possível até mesmo prever o futuro, com dados que ajudarão a quantizar a probabilidade de acerto ou erro. 

Como falamos, os dados são ativos gerados a partir do uso de sistemas de informação todo dia, toda hora. O uso dessas aplicações gera registros, rastros, que são justamente os dados acumulados nas bases das empresas.

Há dados que diferem de acordo com a importância e com a frequência de geração, como veremos mais adiante.

Contudo, a gestão de dados compreende-os como mais do que isso. Eles são potenciais geradores de insights e podem ser reaproveitados para otimizar processos constantemente e permitir novas ações.

Assim, é preciso também pensar na qualidade desses dados, na origem, no ciclo de vida, em como garantir a segurança, no controle de acesso etc. A gestão é a coordenação de tudo isso para assegurar que os dados estejam sempre saudáveis.

Gestão de dados e gestão da informação: quais as diferenças?

diferença entre gestão de dados e gestão da informação

Há uma diferença importante entre gestão de dados e gestão de informação. 

Quando falamos em dado estamos falando de ativos brutos, ainda não processados, que acabaram de ser gerados.

Ou seja, são elementos que ainda não viraram úteis e tão importantes para as empresas. Ao passo que informação é quando um dado vira útil e tem maior relevância para as empresas. 

Uma informação é gerada quando dados são cruzados e analisados de diferentes perspectivas. A partir disso, torna-se possível enxergar pontos ainda não vistos e decidir com base nesses dados. 

A informação é um conjunto de dados contextualizados, setorizados, que fazem sentido real para o negócio. 

Por exemplo, quando um dado é gerado em um sistema transacional, ainda está em uma fase inicial, bruta. Ele não pode ser usado para a tomada de decisão ou para algo mais estratégico.

Uma vez que esse dado é convertido em informação, ele pode ser usado para tomada de decisão. Ou seja, são dados com contexto de negócio que podem ser aproveitados para a geração de valor.

A gestão de dados cuida da qualidade deles, do ciclo de vida e da segurança. A gestão de informação se preocupa com o direcionamento da informação para as pessoas certas, o uso devido, a qualidade, entre outros. 

A importância da Gestão de Dados para as empresas

Um dos aspectos mais importantes sobre a gestão de dados é a previsibilidade. As empresas que gerenciam bem seus dados e conseguem gerar informação útil a partir deles são capazes de antecipar o futuro e ter uma clareza acerca do que pode acontecer.

É possível antecipar riscos e prever oportunidades, por exemplo, de modo a preparar melhor a companhia para isso.

Nesse sentido, fazer uma administração de dados também é muito crucial para a redução dos riscos e dos erros. 

O uso dos dados corretos permite melhorar os processos, aumentar a precisão nas atividades e na concepção de produtos, bem como eliminar riscos e problemas de segurança.

Ou seja, a empresa pode traçar estratégias e planos de ação para desenvolver o negócio, com maior certeza de que as ações vão ser bem-sucedidas.

Por exemplo, antes de uma decisão de expansão, é possível estudar melhor a região para onde a empresa vai, o potencial de lucratividade e tudo mais. 

Além disso, a gestão de dados também é importante para garantir a produtividade e a melhoria dos processos internos. 

Com o uso de dados estratégicos para esse fim, torna-se viável otimizar constantemente os processos e produtos, ao testar novas formas de concepção.

A importância da gestão também é percebida quando analisamos a necessidade de manter os dados seguros e em boa qualidade. 

Por exemplo, com a segurança e a acurácia dos dados em dia, é possível garantir o uso dos ativos informacionais para os pontos que mencionamos antes.

Outra questão é a importância do controle de acesso. Para assegurar que os dados sejam usados de forma coerente e saudável, é preciso ter certeza de que as pessoas certas estão usando.

Ou seja, torna-se necessário garantir que apenas pessoas autorizadas tenham acesso aos dados, no momento certo. Nesse sentido, criminosos ou pessoas de fora não podem visualizar nem modificar esses dados.

A gestão também é relevante para que se mantenha a qualidade e a clareza dos dados. Nesse sentido, os dados devem se manter íntegros e prontos para a análise.

Quais são os dados mais importantes para as empresas?

É importante dividir os dados entre transacionais e dados master. Com essa divisão, podemos entender bem como os dados são gerados e como podem ser usados, a depender da natureza. 

Dados transacionais

Os dados transacionais são os gerados em transações, em processamentos diários e rotineiros. São dados comuns, periódicos, que constituem pequenas massas de informação.

Eles precisam ser cruzados e contextualizados para serem transformados em informação, como já vimos antes. 

Dados master

Os dados master são os dados cruciais, mais importantes, dos quais a empresa realmente depende. Assim, são mais sensíveis e devem ser gerenciados com maior cuidado. 

Princípios do gerenciamento de dados 

princípios da administração de dados

O gerenciamento de dados é coordenado por alguns princípios-chave. Precisamos comentar sobre eles para avançar no assunto. 

O primeiro é o valor dos dados. É importante destacar que os dados são úteis e valiosos para as empresas quando estão devidamente limpos e prontos para a análise. 

Nesse caso, precisam também de contextualização e de cruzamento com outros dados.

Uma gestão voltada para o valor deve considerar a qualidade dos dados, de modo a amplificar essa característica. Os dados só são importantes enquanto eles são valiosos. 

Outra questão são os padrões. Dados podem ser categorizados de acordo com certos padrões similares, o que ajuda bastante na hora de analisar e processar informações.

Outro fator é a contextualização. Como já foi pontuado algumas vezes, os dados se tornam informações úteis e poderosas quando são contextualizados; ou seja, quando ganham reforço de outros dados, eles são melhor compreendidos.

A contextualização permite entender melhor a que exatamente os dados se referem. Dessa forma, facilita as análises e encurta o tempo dos profissionais envolvidos.

Também precisamos citar a gestão de riscos. Quando falamos em gerenciamento de dados, é fundamental considerar a questão da segurança e dos possíveis riscos.

Afinal, os dados podem ser perdidos ou cair em mãos erradas. Além disso, existe a ameaça de invasões, bloqueios, etc. É preciso considerar os impactos dessas ameaças, identificar a probabilidade delas se concretizarem e trabalhar para combatê-las. 

Quais os componentes do gerenciamento de dados?

A seguir, confira os componentes do gerenciamento de dados. 

Acesso

O primeiro ponto é o acesso. A companhia precisa se organizar bem para que os dados sejam acessíveis e estejam disponíveis. Assim, cumpre-se um dos pilares da segurança, a disponibilidade. 

Transmissão

Outro ponto é a capacidade de transmissão de dados para colaboração. A gestão de dados deve também pensar em como transmitir e conduzir dados de um ponto a outro. 

Governança

A governança tem um papel importantíssimo para coordenar o ciclo de vida dos ativos informacionais e garantir cuidado com princípios e regras. Assim, pode-se estruturar melhor a gestão de segurança e o foco em qualidade. 

Integração

No ecossistema digital complexo das empresas hoje, é imprescindível pensar na integração dos dados. É preciso reunir dados de todas as frentes em uma central de fácil acesso, de modo que se consiga manipular com facilidade esses ativos. 

Qualidade

Como já foi mencionado, a qualidade também desponta como um fator importantíssimo no tratamento de dados e informações. É preciso garantir esse elemento para que se consiga fazer boas análises.

Isso inclui a quantidade ideal dos dados, a integridade deles e muito mais. 

Profissionais da área de Gestão de Dados

Agora, vamos conhecer algumas profissões típicas da área de gestão de dados. 

Cientista de dados

O cientista de dados é a pessoa responsável por analisar dados, identificar padrões, criar modelos com base em dados para gerar insights e análises valiosas. É um profissional preocupado em evoluir as concepções de análise de dados, segundo um padrão científico.

Gestor técnico de dados

São pessoas que cuidam da análise de dados, da modelagem, dos metadados, da qualidade de dados, da segurança, etc. 

Gestor estratégico de dados

Faz a ligação do TI mais técnico com o lado do negócio. Define indicadores de qualidade, trabalha a arquitetura dos dados, gerencia as ações com base nesses indicadores e muito mais. 

Chief Data Officer

Essa é uma posição de diretor. Deve então pensar em novas oportunidades de negócio, tentar aliar os dados ao negócio, traçar novas chances de lucratividade, etc. 

Analista de dados

A análise de dados trabalha muito próximo com os números e indicadores. Busca interpretar os dados em ações práticas para o dia a dia, com um foco mais operacional. 

Como um software de Gestão de Dados funciona?

Uma plataforma de gestão de dados possibilita o controle global de todos os dados da empresa em uma central. Dessa forma, é um software que facilita a coleta e a entrada dos dados, bem como também permite controlar o ciclo de vida.

Geralmente, esses softwares são focados na análise também. Então, permitem extrair insights rápidos e precisos desses dados para facilitar a criação de relatórios e dashboards. 

Além disso, possibilitam o controle da exportação, da visualização e muito mais. 

Como fazer a gestão de dados? Veja 7 orientações

Como fazer a gestão de dados?

Vejamos então algumas orientações sobre como conduzir uma administração de dados:

1º passo: Integre a Gestão de Dados à cultura da empresa

Primeiro, faça a gestão ser parte fundamental da cultura. Ou seja, pense em como integrar essa ação aos pilares culturais de sua organização, de modo que seja fácil e intuitivo.

2º passo: Organize as principais necessidades da organização

Em seguida, pense nas necessidades da sua empresa e no que será solucionado com uma boa administração de dados. Faça um diagnóstico preciso das condições da empresa para entender melhor como direcionar a gestão. 

3º passo: Determine quem vai assumir a posição de responsável pela Gestão

É preciso então pensar no cargo e em quem vai de fato assumir a função de gestão dos dados. 

4º passo: Elabore uma estratégia completa

Então, a empresa deve seguir para desenhar uma estratégia completa de gestão que compreenda os objetivos e que faça sentido. 

5º passo: Promova a integração das equipes de todos os setores

Para que a cultura seja reforçada, é imprescindível contar com a integração de todos os setores e de todas as partes da empresa. Então, foque bastante em harmonizar os setores e os dados deles.

6º passo: Incentive treinamentos para as equipes

Outro passo é buscar o treinamento para organizar melhor as equipes. Assim, a cultura será de fato implementada, sem maiores percalços. 

7º passo: Escolha métricas e monitore os resultados

Então, não podemos esquecer da necessidade de escolher as métricas certas para monitorar e analisar os resultados. 

banner-servidor-em-nuvem-para-empresas

Conclusão

A gestão de dados é um assunto complexo, cheio de ramificações e nuances. É preciso pensar em como estruturar os dados para facilitar a tomada de decisão, com a consideração sobre a qualidade deles e sobre a acessibilidade.

Nesse sentido, a gestão inclui cuidado com os dados em si e com o que será gerado a partir deles. 

Avalie este post