O que é Keylogger, como detectar e se proteger de um ataque?

Palavra keylogger escrita em vermelho se destacando entre uma sequência de números.

A segurança da informação é um assunto que muda constantemente e ganha novas variáveis a cada dia. É preciso, portanto, estar sempre conectado às mudanças e tendências, o que inclui soluções de proteção e também estratégias criminosas.

Dentre as abordagens danosas mais usadas, temos o keylogger, uma espécie de software-espião que pode trazer enormes prejuízos a uma empresa. 

Essa aplicação maliciosa é capaz de afetar a privacidade e a confidencialidade, de modo a gerar um excedente de custos.

Felizmente, há solução. Há soluções, na verdade. É importante conhecer as ferramentas dispostas a combater esse tipo de ameaça para se manter saudável, consistente e seguro, com uma gestão de TI que ajude a empresa como um todo. 

Conheça os tipos mais comuns de ataques cibernéticos e saiba como estruturar sua empresa para se proteger deles!

Leia também:

O que é keylogger? 

Um keylogger é um sistema malicioso que registra tudo o que é digitado no teclado e encaminha para criminosos. Ou seja, faz o monitoramento de teclado e capta informações sigilosas para fins escusos.

Na verdade, o keylogger não é usado somente para fins de crime. Também pode ser útil em testes e em situações controladas, como uma forma de exploração de vulnerabilidades no desenvolvimento de softwares.

Na segurança de informação, ele se destaca como um spyware, um software espião, que pode render muita dor de cabeça para a gestão de uma companhia.

Basicamente, o keylogger na versão de software fica sendo executado em segundo plano, sem que o usuário sequer perceba. Então, ele copia tudo o que é digitado, de modo intrusivo, e envia para uma central. 

É fundamental entender (e comentaremos neste artigo) que há vários tipos de keylogger. Cada um requer uma postura diferente da equipe de proteção. Existem keyloggers mais simples e existem os que oferecem maior resistência para sair.

Um spyware é uma aplicação que faz mais do que somente captar o que é digitado, aliás. Pode interferir no desempenho da máquina e até mesmo apresentar páginas falsas, que iludem e enganam o usuário.

Onde os keyloggers são encontrados?

Podem ser encontrados em sites — sejam eles sites verdadeiros, sejam sites falsos (phishing). 

Da mesma forma, estão impregnados em aplicativos maliciosos para começar uma ação sempre que a pessoa baixa ou instala o app. 

Há casos de spywares em unidades USB também, atuando mais em nível de hardware. 

Pode ser encontrado em uma máquina corporativa ou em um dispositivo de crianças que está sendo acompanhado pelos pais. 

Essas ferramentas podem agir de forma independente do dispositivo infectado. De certa forma, seu plano de ação é até simples e fácil de compreender. 

Por que o keylogger é tão perigoso? 

Uma vez que se entende o que é keylogger, é fácil entender como esse tipo de sistema representa uma grande ameaça para a segurança de uma empresa.

Primeiro, cibercriminosos podem roubar senhas, dados pessoais de identificação, dados de cartões e outras informações para roubo, extorsão ou bloqueio de valores.

Da mesma forma, essas informações sigilosas podem ser expostas para gerar algum lucro para os hackers.

No caso específico de uma empresa, podemos ter segredos de negócio vazados, informações sigilosas da estratégia da empresa e de seus clientes, senhas internas, etc. Praticamente tudo o que pode ser digitado em uma conta corporativa é monitorado para uso posterior.

Isso, por sua vez, representa custos para recuperar as informações, gastos com indenização e problemas de reputação. Afeta seriamente a credibilidade e a reputação de um negócio. 

Tipos de keyloggers

Mãos mexendo em um teclado, simulando estar fazendo um monitoramento de teclado, também conhecido como keylogger.

Como falamos, há dois principais grandes tipos e pequenas categorias dentro desses tipos. Veremos.

Por software

Dentro do leque dos keyloggers de software, temos o de API, o de formulário e o de kernel.

O keylogger de API se baseia em uma interface de programação que facilita a comunicação entre softwares, o que permite o monitoramento do teclado e do que é digitado. 

Nesse caso, é como se o sistema tivesse acesso a dados digitados e enviados dentro de outro por meio dessa comunicação. 

O keylogger de formulário intercepta dados transmitidos em um formulário, funcionando como um intruso no meio dos agentes na comunicação. Ele capta tudo o que é digitado dentro daquele ambiente de formulário.

Ao passo que o keylogger de kernel é um spyware que está na parte principal do computador e, logo, tem acesso a praticamente tudo o que é digitado, em qualquer software.

Por hardware

Na parte do hardware, temos keylogger de hardware de teclado, keylogger de câmera e keylogger de disco USB.

O que está no hardware do teclado está presente no cabo ou na conexão com a entrada e consegue, assim, acesso a tudo o que é digitado. Os de câmera conseguem visualizar vídeos das teclas pressionadas.

Os de USB entram no sistema depois que o removível é inserido, cumprindo sua função de monitoramento. 

Como um keylogger invade um computador? 

Um dos meios é com uma infecção comum, que é similar a um de malware. O sistema malicioso é instalado e tem total acesso para operar nos bastidores. 

Pode ser um app que parece legítimo, mas é falso. 

Há também situações de acesso a sites maliciosos que instalam softwares sem que o usuário perceba.

Pode ser que o usuário até perceba lentidão e um desempenho inferior de sua máquina, porém é comum que isso seja imperceptível. 

Como os keyloggers são usados no ambiente de trabalho?

No ambiente de trabalho, essas ferramentas são adotadas para diferentes fins. Um deles é para testar aplicações de software, a partir da compreensão do que é digitado.

Nesse caso, o foco é melhorar ainda mais a experiência do usuário e a solidez do sistema. 

Há também o caso de uso por gestores para controlar seus colaboradores. Os softwares monitoram tudo o que é digitado na conta corporativa, de modo a evitar acesso a sites impróprios ou perda de tempo ou perda de produtividade.

Ou seja, o keylogger é até uma aplicação útil e que pode ser acoplada a um projeto da empresa. Contudo, seu uso se tornou criminoso e passou a ser explorado para fins maliciosos.

Como detectar um keylogger? 

Mãos digitando em um teclado de notebook. Saber como detectar um keylogger é importante para proteger as informações do seu computador.

Vamos conferir agora como detectar um keylogger, isto é, uma aplicação de monitoramento em um computador.

Dentro de um processo de execução 

Podemos identificar um software de monitoramento de teclado em um processo em execução no gerenciador de tarefas. Geralmente, ele roda em segundo plano, nos bastidores, mas pode ser detectado com uma inspeção.

Quando abre o gerenciador, o usuário nota um processo estranho em execução, que pode realmente ser um keylogger. 

No registro de atividade do firewall 

Outra estratégia para reconhecer uma aplicação de monitoramento é conferir os registros e relatórios de um firewall. Afinal, esse software de proteção serve para impedir acesso de mal-intencionados e bloquear a ação de apps maliciosos.

Com antivírus 

Também é possível verificar com um antivírus. O conhecido sistema de combate a ameaças faz varreduras para identificar potenciais malwares e spywares, de modo a tentar isolar ou eliminar a ameaça em tempo hábil. 

Então, com seu apoio, é viável entender se a empresa está infectada ou não. 

Como remover um keylogger? 

Há algumas soluções interessantes e efetivas para remoção de um leitor de teclado. 

Uma delas é um antivírus, com uma ação específica contra spywares. Uma ferramenta robusta de proteção pode ajudar ativamente na interrupção desse monitoramento. 

O antivírus indica qual é a fonte daquele app e até mesmo a pasta de onde veio a ameaça. Dessa forma, pode funcionar como um auxílio antes mesmo da ação dos criminosos.

Outra estratégia é o uso de antikeylogger, um software específico para lidar com esse risco e suas nuances. Oferece visibilidade, transparência e inteligência para permitir um controle ativo e robusto por parte da empresa.

Há também soluções de proteção web e de gestão de segurança — aplicações mais completas que auxiliam nesse quesito. 

Como se proteger de um keylogger? 

Tecla de um teclado escrito a palavra Firewall, sendo uma das recomendações para se proteger de um keylogger.

A proteção diante de uma ameaça de segurança tão perigosa como essa deve envolver um conjunto de ações coordenadas. O ideal é estruturar uma consonância entre boas práticas e uso de softwares habilitados para essa função.

Por isso, a ideia deste tópico é mencionar uma lista de soluções que podem ser usadas em um plano orquestrado de defesa contra monitoramento do que é digitado. A lista abaixo também inclui alguns erros a serem evitados

Antivírus 

O já citado antivírus é uma das mais conhecidas soluções quando se pensa em combate a riscos de segurança de diversas naturezas. 

Afinal, é uma aplicação completa para fazer varreduras e criar rotinas de monitoramento, de modo a evitar diversos tipos de problemas, incluindo spywares.

Há exemplos de antivírus com módulos específicos contra a ação de ferramentas de espionagem, com a devida inteligência para lidar com esse risco. 

A grande vantagem de ter um antivírus é a clareza de informações. Além disso, você dispõe de uma solução que executa varreduras automaticamente e realiza ações efetivas de proteção para impedir que os problemas se tornem maiores (como mover ameaças para uma quarentena e excluir os apps). 

Instale firewalls

Um firewall é um sistema de controle de acesso que funciona como uma barreira e como um filtro para impedir que mal-intencionados consigam entrar na rede. É possível impedir a instalação de um software espião nas máquinas da empresa, portanto.

Cuidado ao usar redes públicas 

Caso a empresa conte com regime remoto de trabalho, é importante orientar os colaboradores com relação à segurança. Afinal, as pessoas podem acessar as contas corporativas de seus dispositivos, em quaisquer redes.

O ideal é não usar redes públicas, por exemplo, para assegurar o máximo de sigilo. Até porque essas redes possuem poucos mecanismos de proteção e podem facilmente ter dados monitorados e interceptados. 

 Teclados virtuais

Outra ótima estratégia é o uso de teclados virtuais. Trata-se de uma boa prática, que considera a importância de certos processos de autenticação. 

Diante disso, o uso da opção virtual é uma forma de reforçar a proteção e oferecer uma garantia a mais de que os dados não serão interceptados.

Isso deve ser usado como um complemento ao que já foi falado. É interessante adotar essa abordagem em situações de controle de dados extremamente confidenciais, em que há tolerância mínima para riscos (ou seja, não podem ser monitorados indevidamente de modo algum). 

Autenticação em dois fatores

A autenticação em dois fatores serve como uma proteção a mais também para o caso de um ataque de spyware já em andamento. Nesse caso, criminosos já têm acesso a senhas da empresa, mas não poderão fazer muita coisa, pois dois fatores são necessários.

Isso é uma boa prática em geral, não somente para proteção em casos de keyloggers. 

Cuidado com links

As boas práticas incluem também cuidado com os links clicados. É imprescindível que todos internamente tenham essa visão e saibam lidar com os links, de modo a evitar a infecção com keyloggers.

O recomendado é sempre evitar links estranhos e checar se o link aparente é realmente o link de destino. Nesse caso, é importante estar atento às dicas contra o phishing, que ajudam a identificar essas armadilhas de aparência. 

Tenha gerenciador de senha 

Outra ótima tática é usar um gerenciador de senhas, um centralizador que ajuda no controle das palavras-passe. Dessa forma, você pode até evitar digitar as senhas — ao copiar e colar — ou desenvolver alguma forma de autenticação diferente. 

Como a Algar te ajuda a se proteger de um keylogger? 

Para proteção contra um keylogger ou qualquer outro spyware, a Algar Telecom oferece várias soluções poderosas.

Temos um serviço de monitoramento e gerenciamento de redes – SOC, com alertas para eventos e monitoramento constante dos sistemas e da rede. Assim, será possível ter uma visão completa de ameaças em um relatório amplo e aprofundado. 

Há também o gerenciamento global da cibersegurança, que monitora todas as operações para gerar proteção. 

O SIEM da Algar Telecom oferece monitoramento completo nos dispositivos, identifica e exibe endereços IP mal-intencionados, ajuda a gerar respostas rápidas em casos de incidentes, etc.

Podemos mencionar o Proteção Web, uma solução para proteger a sua rede e permitir que você se adapte à LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados). 

Facilita o controle de acesso a sites dentro da empresa, protege contra endereços maliciosos, bem como impede instalações indevidas.

Dessa forma, o spyware não terá chances de se infiltrar em suas máquinas para gerar um prejuízo.

Conheça os tipos mais comuns de ataques cibernéticos e saiba como estruturar sua empresa para se proteger deles!

Perguntas frequentes sobre keylogger: 

Imagem de uma pessoa encapuzada de preto, simulando estar fazendo um ataque cibernético.

Como saber se estou com keylogger no PC?

Com a ação de um antivírus, um antispyware ou antikeylogger. Há também relatórios de módulos de proteção web e de gestão ampla de segurança que identificam e mostram isso. 

Como desativar um keylogger?

Um software de proteção combate o keylogger ao desinstalá-lo e removê-lo do computador. Além disso, bloqueia suas ações para que seja possível evitar que informações sigilosas cheguem a criminosos. 

O que faz um keylogger ao infectar um PC?

É um programa que captura tudo o que é digitado no PC e faz monitoramento de senhas e dados confidenciais para uso de hackers. 

Conclusão

Um keylogger é uma ameaça constantemente enfrentada por empresas e por usuários. Felizmente, podemos contar com uma orquestração de tecnologias para combater esse risco e oferecer maior senso de segurança.

Avalie este post