Threat intelligence: como é possível aplicá-la nas empresas

Muitos já sabem da importância de combater o envio de malwares e de ficar atento a possíveis golpes. Inegavelmente, a adaptação das empresas à LGPD permitiu o aumento da segurança jurídica e da consciência da proteção de dados. Entretanto, existem outras ações menos evidentes que requerem a adoção de uma threat intelligence.

De modo geral, esse conceito é totalmente conveniente aos dias atuais, afinal, os ciberataques estão cada vez mais otimizados sendo interessante que o time considere de maneira inteligente as ameaças, bem como os pontos de vulnerabilidade. Ao passo que as ameaças cibernéticas simbolizam grandes prejuízos a empresa e é essencial agir preventivamente.

Quer saber o porquê? Gostaria de entender melhor o significado desse termo? Então continue conosco e veja detalhes pertinentes nos tópicos abaixo. Boa leitura!

O que é a Threat Intelligence?

A transformação digital provocou grandes mudanças na cultura organizacional. Além do aumento da produtividade, o processo de digitalização ajudou a promover a mudança de mindset e a construção de uma infraestrutura com foco no armazenamento em nuvem

Desse modo, foi possível incentivar a cultura de inovação e a otimização dos processos internos. A tecnologia ficou cada vez mais acessível e totalmente presente no ambiente corporativo. De maneira geral, esse é um ponto muito positivo, mas é necessário considerar da mesma forma os riscos que essa facilidade traz.

Afinal, tal cenário aumenta os casos de roubos de dados e crimes cibernéticos. Diante disso, torna-se essencial focar na Threat Intelligence. Por sua vez, o termo se trata de um conjunto de medidas essenciais visando que um time especializado possa agir de maneira preventiva aos ataques aos sistemas e outros tipos de ameaças

Quais os indicadores usados na Threat Intelligence?

Apesar dos ataques cibernéticos estarem cada vez mais sofisticados, as ações de segurança de dados também passam por constantes processos de evolução. Por exemplo, o investimento em um antivírus corporativo para evitar o roubo de informações.

A proposta do Threat Intelligence cria uma atmosfera propícia ao combate contra sabotagem, vazamento de dados sensíveis e outros ataques em relação a competições empresariais.

Essa inteligência apresenta alguns indicadores que devem manter a empresa em alerta. Alguns simples, por exemplo, chaves de registros, domínios, entre outros mais avançados como solicitações constantes em relação a arquivos importantes, falhas de autenticação de maneira recorrente ou tráfego anormal de rede de saída.

Tipos de Threat Intelligence

Com a inteligência dos hackers cada vez mais avançada, a implantação da Threat Intelligence no ambiente de trabalho permitiu a evolução da sua marca para um nível bem mais profissional. Visto que quanto mais desenvolvidas forem as novas tecnologias, maiores e sofisticadas serão as ameaças de invasão e roubo.

Em busca de ter abordagens mais assertivas, podemos dividir a inteligência de ameaças em três categorias. Confira a seguir.

Tática

Neste caso, trata-se de um tipo de Threat Intelligence que foca mais na questão das operações de segurança (SOC). Para isso, é necessário que os responsáveis por essa atividade tenham um conhecimento técnico bastante avançado, além de muita inteligência emocional. Afinal, é necessário eliminar ameaças específicas em andamento. 

Por exemplo: tráfego incomum no site, ataques de phishing presentes em e-mail, aumento nas solicitações de download ou endereços IP incorretos. Dessa forma, a equipe terá uma resposta melhor a incidentes, poderá classificar as ações conforme grau de perigo e também atuará para identificar agentes ocultos.

Estratégica

A princípio, existem termos e demais nomenclaturas que apenas a equipe de TI conhece e está familiarizada. O tipo de Threat Intelligence é bastante destinado a esse público, mas há pessoas que precisam ter conhecimento desses eventos maliciosos no sistema para poder agregar valor na busca de tomadas de decisões inteligentes.

É o caso dos acionistas e demais líderes que não entendem a fundo tais conhecimentos técnicos. Por isso, torna-se necessária a Inteligência de ameaça estratégica.  Com ela é possível ter acesso a relatórios e demais materiais ricos em conteúdo que mostram o andamento da segurança cibernética daquela empresa.

Assim, será possível considerar desde os problemas presentes no cenário atual até as ações preventivas na intenção de evitar o avanço de ataques e ameaças cibernéticas. Esses profissionais passarão a usar os ativos estratégicos presentes na organização ou outras ferramentas que acreditam serem mais produtivas no gerenciamento de riscos.

Operacional

A princípio, é essencial entender os motivos dos ataques cibernéticos acontecerem. Essas perguntas são bastante válidas e permitem que a equipe use seu conhecimento técnico para analisar cenários e saber como agir antes que um ataque aconteça. Ou seja, identificar ameaças e já formular melhores meios de evitar os ataques desses agentes.

Como aplicar a inteligência de ameaças nas empresas?

Para implantar a Threat Intelligence na sua empresa é necessário que o processo passe por um ciclo de vida. Primeiramente temos a fase planejamento onde podemos compreender aspectos ligados à organização e decidir quais requisitos de inteligência prevalecerão nas análises.

Posteriormente, a equipe segue para a coleta e identifica quais serão as fontes de dados. Em seguida definem-se os meios de processamento e como eles são analisados para que essas informações se transformem em inteligência. Mais adiante, o time passa pela etapa de propor soluções e promover insights conforme cada dado coletado.

Para encerrar, aplica-se a cultura de feedback. Assim a companhia poderá estabelecer a melhoria contínua e fazer com que a qualidade permaneça presente durante toda a prestação de serviços.

Por que ela é importante?

Por meio da Threat Intelligence sua empresa poderá reduzir a quantidade de violações de dados, melhorar a performance do seu time de TI, ter menos ameaças cibernéticas nas redes corporativas e usar seus dados de maneira estratégica.

Cuidados que você precisa ter ao escolher um programa de Threat Intelligence

Primeiramente é necessário que o programa tenha recursos que contemplem suas necessidades, apresente um bom suporte e tenha soluções totalmente específicas para a sua organização.

Conheça a Algar Telecom

Para entender e antecipar ameaças às organizações, a Algar Telecom conta com várias soluções digitais que melhoram a sua segurança de dados. Estamos em constante diálogo com essa estratégia em busca de incentivar times a tomar decisões mais assertivas em relação a recursos como a Threat Intelligence. Portanto, considere esse investimento para deixar sua empresa livre de ameaças.

Descubra a solução ideal para sua empresa, entre em contato conosco para saber mais.

 

Avalie este post